Qualis Periódicos: indicador da política científica no Brasil?

Por Mônica Frigeri e  Marko Synésio Alves Monteiro

A necessidade em publicar os resultados de pesquisas a fim de validá-los como conhecimento científico somada à necessidade em definir o que é ciência de qualidade, resultam em um controle sistemático de avaliação da produção científica. Tendo em vista a ideia de que o conhecimento científico só adquire valor a partir do momento em que é difundido para a comunidade e levando em consideração o aumento na quantidade das publicações científicas, o processo de avaliação tende a ser constantemente atualizado e discutido por membros da própria comunidade científica.

A discussão se torna importante principalmente a partir do momento em que enxergamos a avaliação dessa produção como parte integrante do processo de construção do conhecimento científico e também a partir do momento em que surgem controvérsias em torno do significado de qualidade para essas publicações.

No Brasil, o sistema de classificação dos periódicos científicos Qualis, é definido como um conjunto de procedimentos utilizados para a diferenciação da produção bibliográfica dos programas de pós-graduação no país. A classificação dos periódicos científicos no Qualis busca, dentre outras finalidades, indicar os veículos de maior relevância para cada área do conhecimento, tanto para os pesquisadores quanto para as agências financiadoras de pesquisa.

O Qualis foi implantado em 1998 como parte integrante do processo de avaliação dos cursos de pós-graduação e, desde então vem sendo utilizado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) como um importante instrumento na composição de indicadores para a avaliação destes cursos.

Tomando como ponto de partida a importância que o Qualis possui no contexto científico brasileiro, o objetivo deste estudo é entender qual o papel do Qualis enquanto indicador da política científica no Brasil. Para tanto, foi realizado um levantamento bibliográfico sobre a avaliação da produção científica no Brasil, tendo como pano de fundo a temática da sociologia da ciência, pois é a partir dessa perspectiva que se iniciam as observações sobre o comportamento, a formação e a organização das comunidades científicas. A pesquisa se baseia em um estudo etnográfico que buscou compreender na prática as influências do Qualis na rotina editorial de um periódico científicoda área de Educação. Posteriormente, a partir das observações coletadas no estudo etnográfico, foram realizadas entrevistas com editores de outros periódicos da mesma área, a fim de verificar as influências do Qualis e seus critérios na rotina editorial dos referidos periódicos.

Acesso ao texto completo: http://seer.fclar.unesp.br/estudos/article/view/6266

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s